Balanço do Carnaval na Região dos Lagos tem ressaca, chuva, crise econômica e lagoa poluída

Balanço do Carnaval na Região dos Lagos tem ressaca, chuva, crise econômica e lagoa poluída

O Carnaval na Região dos Lagos registrou queda no turismo em 2020 devido a uma conjunção inusitada de fatores. Uma grande frente fria assolou a Região Sudeste já na sexta feira, trazendo chuva e mar agitado. A propaganda negativa sobre a poluição na Lagoa de Araruama também afastou muitos turistas, principalmente das cidades que dependem das praias lacustres, como São Pedro da Aldeia, Araruama e Iguaba Grande.

Para “fechar o caixão”, a data do Carnaval (25/02) coincidiu com as despesas do início de ano, como IPVA, IPTU e material escolar. Para agravar a situação, o desemprego no país fez com que muitas famílias sequer conseguissem cumprir suas obrigações sociais e acabaram por abortar qualquer perspectiva de viagem durante o Carnaval. Nem a alta do dólar, dificultando as viagens internacionais, foi capaz de reverter esse quadro.

Segundo empresários do setor hoteleiro, ouvidos pelo GUIA LAGOS, o clima foi o principal fator para a desaceleração do turismo neste Carnaval. A previsão de um verão chuvoso, divulgada com antecedência pela mídia, também influenciou na programação dos turistas. A ressaca registrada no sábado e domingo (22 e 23) provocou ondas de até 3 metros de altura que invadiram praias e afastaram banhistas nos dias críticos. Na Praia Grande, em Arraial do Cabo, ondas enormes arrastaram barracas e pertences. Em Maricá a água do mar alcançou ruas próximas à praia. Em Saquarema foram registrados mais de 300 salvamentos no mar durante a semana do Carnaval.

Outra reclamação recorrente entre empresários e comerciantes da região, principalmente em Cabo Frio, foi a falta de planejamento das prefeituras para receber os turistas. Serviços públicos precários, desordem urbana e comércio clandestino figuram como principais pontos negativos. O descarte de resíduos em logradouros públicos, principalmente embalagens plásticas, também criou contraste negativo com as belezas naturais da Região dos Lagos.

Mas tantos problemas não afastaram a alegria dos foliões reunidos em blocos carnavalescos, bares, esquinas e praias. Em todas as cidades da Região dos Lagos turistas e moradores confraternizaram ao som de samba, axé, funk e até mesmo rock. A segurança pública merece destaque pela presença ostensiva de equipes em viaturas do 25º Batalhão da Polícia Militar, sediado em Cabo Frio. No fim do balanço, prevaleceu a alegria característica do DNA do povo brasileiro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com

sete − 7 =